Períodos de formação

bairro do recife – trapiche – inicio do século XX

As bandas como organização civil, “Sociedades Musicais” só começaram a surgir em meados do século XIX na Bahia, Minas Gerais e São Paulo. Porém, um francês que visitou a Bahia em 1610, conta que um ricaço possuía uma banda de música de trinta figuras, todos negros escravos, regidos por um francês provençal.

Charamelas

Na realidade, esta banda era composta de flautas, e tambores, as quais tinham a denominação de “Charamelas”, devido às flautas do mesmo nome. As charamelas no Brasil foram as antecessoras das bandas de música, principalmente nas festas religiosas, nas novenas, procissões e etc. Nestas festas era quase que obrigatória a participação de negros charameleiros, envergando vestes coloridas nos adros das igrejas.

Fonte: livro O Papel das Bandas de Música

Em 1814 a música do regimento militar aparece substituindo as charamelas. E a partir da década de 20 do século XIX as bandas foram surgindo e desenvolvendo-se por todo o Brasil, inclusive em Pernambuco, nos batalhões militares, tocando em todas as festas com uma música de sonoridade mais forte, exercendo com maior e melhor desempenho o papel das charamelas.

As bandas, embora surgidas em Pernambuco desde as primeiras décadas do século XIX, só tiveram o seu pleno desenvolvimento após 1860, quando MORITZ introduziu o contrabaixo, o qual teve o nome de HELICON e depois TUBA e Adolfo Sax inventou o SAXOFONE, dois instrumentos que deram maior volume e harmonia às bandas.

a Música, a Dança e as Bandas

As bandas divulgavam as músicas e danças oriundas do continente europeu para a sociedade brasileira. Dentre estes ritmos musicais destacados, a “Valsa”, surgida na França em finais do século XVI, chegando ao Brasil por volta de 1837. A “Polca”, uma dança que teve origem na Bohemia, é dançada no Brasil pela primeira vez em 1845, vindo depois o “Scotish” de origem inglesa, em 1851

Posteriormente, estes gêneros musicais (valsa, polca, scotich) tomam características particulares, sofrendo influência de ritmos e costumes existentes no Brasil, começando a se abrasileirarem, com novas interpretações das fusões desses ritmos, surgindo novos gêneros musicais oriundos das classes sociais urbanas e rurais.

O primeiro tipo de dança urbana criada no Brasil foi o “MAXIXE”, surgido em 1870 aproximadamente. O Maxixe era a junção de vários elementos como a Habanera, a Polca e o Lundum, este último de origem africana, trazido pelos negros escravos e introduzido no meio social. A fixação do Maxixe na música popular brasileira se deve ao compositor Ernesto Nazaré, introduzindo o mesmo nos salões das casas senhoriais, nos saraus, ao som dos pianos e nos clubes aristocráticos.

Outra forma musical difundida pela banda é o “DOBRADO”, originário das marchas européias. Aqui tomou formas novas sofrendo influência do meio social e adequando-se ao mesmo. O dobrado, ainda hoje é largamente executado pelas bandas de música militares nas paradas, desfiles de tropa, cerimônias outras, como pelas bandas civis nos desfiles pelas cidades a caminho das retretas, nos desfiles cívicos, na chegada de autoridades, etc.