Maestro Ademir Araújo

Falar de Formiga é algo complexo, e quando se tenta resumir sua biografia, e produção, a coisa fica muito mais complicada. Buscando tornar mais acessivel dividimos essa página em: apresentação, início, histórico de projetos, projeto acervo digital, canal youtube, projeto hq Formiga, projeto formigueiro, fotos.

Apresentação
O Catálogo online Bandas de Música de Pernambuco, iniciado em 2009, tem como exemplo de comprometimento 
cultural as ações de salvaguarda desenvolvidas, isoladamente, pelo Sr. Maestro Formiga ao longo de sua vida profissional. Pesquisador autodidata, criou centenas de partituras baseadas no aprendizado ligado a organização e compreensão dos vários elementos originários da musica ética de Pernambuco. Sua excelência composicional transformou o conceito Orquestra Popular em identidade musical que poderá se ajustar a quaisquer cultura. Com isso ele vem sendo um exemplo também para muitos outros músicos que buscam tocar a Música Popular em muitas outras cidades pelo país. Ou seja além de ser uma fonte de inspiração para a criação do Catálogo ele indica muitos dos aspectos para o estudo de nossa Música. Também indica para músicos de outros locais que é possível que criem suas Orquestras Populares, tendo como medida a própria Orquestras Popular do Recife (OPR), estando ele mesmo a disposição para orientar nossos amigos músicos.  

Pedra do Navio e Formiga

equilíbrio da Pedra do Navio e “Formiga”

Defensor do universo das Filarmônicas, do Dobrado, do Folklore, da Música Popular do Brasil, e principalmente do Frevo (enquanto patrimônio cultural imaterial) ele faz jus ao seu titulo de Patrimônio Vivo!
Formiga é o principal ponto de partida para conectar dados disponibilizados no Catálogo online Bandas de Música de PE. Tento resumir nessa página o sentido e importância do Sr. Maestro tanto para o Catálogo quanto para os projetos a ele relacionados. Grato (abh).
____________________________
O Início – 
Conheci o Maestro Ademir Araújo em 1999, por meio do baterista Adriano Araújo. Passei a ter acesso as suas composições e fui me dando conta de sua história de vida. Personalidade marcante traz algo a mais de nós mesmos.

Demorei para compreender a necessidade organizacional sobre sua obra, e sobre como se fez Formiga e Maestro. Sua biografia mostra que décadas de pesquisa e estudo diário transformaram seu gesto compositor num enigma que fala do Brasil Profundo, do Brasil esquecido, encoberto com a poeira do tempo, destruído pela imposição econômica.

Sill – cartum – HQ Formiga no Carnaval da Vida

Grande parte de suas trincheiras constituem ambientes mentais onde ele defende “a grandeza cultural do que eramos”, hoje ofuscada pela sofisticação importada ou pela total ausência  de consciência de valor e conteúdo cultural original.

Formiga em seu campo de batalha não usa da modernidade como fonte, mas fundamentalmente a cultura vinda do povo como recurso de originalidade.

O estudo iniciado em 1977 pelo Formiga, sobre Folklore e Música Popular, ainda mostra o modo perpétuo pelo qual mentaliza cultura e arte como atitude pragmática e autodidatismo construtivo.

Pouco a pouco a admiração foi sendo substituída pela vontade de compreender seus modos de aprender e seu gesto compositor. Foi surgindo um estudo direcionado para busca por material, até definitivamente se transformar numa pesquisa contínua sobre o músico e sua música.

Tinha de inicio algumas questões que me indicavam o caminho a seguir para responder:

  • Como aprendeu, ensinou a si e a outros(as), a usar original potencial?
  • Como Formiga funcionava para pesquisar e arquivar dados?
  • Como ele conseguia compor sem instrumento? como se concentrava?
  • Como foi seu desenvolvimento em meio a agitação da cidade?
  • Como virtualizar seu acervo e trabalho de modo a tornar acessível?
  • Havia grande quantidade de material, entre partituras, anotações, recortes, fotos, matérias, folhas e mais folhas com trechos de livros. Como organizar  tudo isso?

Para responder e resolver a todas essas questões, montamos uma equipe de trabalho interdisciplinar, com profissionais que o Maestro confia (designer e produtora Alice Santos, pesquisador abh, empresário Alexandre Araújo, musicista Braulia Vital, Plural Projetos e a CCB/Ong). Criamos  e formatamos algumas propostas. Devido a grande quantidade de dados observamos que era preciso buscar apoio e incentivo cultural para diversas iniciativas.

O Funcultura vem tornando possível a criação de amplo banco de dados, digitalizados sobre Formiga, e com diferentes focos.
Iniciamos o estudo biográfico e levantamento sobre sua excelência organizacional e seu original gesto compositor.
Do mesmo modo passamos a digitalização e sistematização de seu amplo material de pesquisa que coletou ao longo de décadas de dedicação diária, que ilustram sua história.

Estudo de Caso – Maestro Ademir Araújo – 
Ademir“com foco em sua excelência organizacional e composicional”

Histórico de Projetos

– Projeto Cultural “Os 12 Trabalhos” – bolsa de criação – 2006
– Projeto Cultural “FORMIGUEIRO” – biografia online   – 2011
Projeto Cultural “HQ FORMIGA” – biografia em quadrinhos – 2013
Projeto Cultural “ACERVO DIGITAL” – partituras do Formiga – 2015
Projeto Cultural “Mambos de A a Z” – partituras do Formiga – 2016
Projeto Cultural “Gesto Compositor” – videoaula com Formiga – 2016

Nestes projetos sobre a produção do Formiga é perceptível, por meio do estudo de sua obra, observar o limite entre Música Popular Brasileira, cultura do Recife, folklore pernambucano e Frevo de Rua.  Sua produção musical é fundamentada em contínua e decana pesquisa cultural.

Estamos salvaguardando, conscientemente, a memória de um Patrimônio Vivo de Pernambuco, que de fato e direito defende sua fonte de criatividade. Estamos resguardando sua memória viva, seu amor diário pela cultura que nasceu no amplo leque de expressão criado pelos mais diversos tipos humanos. Aprendemos a respeitar sua luta do Maestro em defesa da cultura, e bens culturais a ela ligados. ele não mede esforços para manutenção da continuidade da estética social, do equilíbrio criativo construtivo que a Música pode gerar, mesmo que para isso ele se deixe misturar na multidão, ou pelo contrário, seja como São João Batista, apenas uma voz solitária lembrando dos vestígios do que era a verdadeira cultura do Recife!

projeto acervo-ademir-araujo

Acervo Digital Ademir Araújo – 2017 –

1) Projeto Acervo Digital ADEMIR ARAÚJO 
(discos, partituras e MP3) –
edital 2015, Funcultura

Iniciado em 2016, tive a conclusão da primeira etapa em junho/2017, produção Alice Santos.
.
O Acervo é formado por partituras autorais do Maestro Ademir Araújo, iniciadas na década de 60, sendo de vários estilos: marcha rancho, frevo de rua e canção, maracatu rural e baque virado, caboclinho, hinos militares e civis, marcha religiosa, dobrado, samba, ciranda, valsa, maxixe, coco, bumba meu boi, poema sinfônico, ciranda, baião e choro.

Projeto Acervo Digital ADEMIR ARAÚJO
Discografia do Maestro Ademir Araújo e Orquestra Popular do Recife (OPR)

Reunimos a discografia com músicas autorais (composição, arranjos e orquestração) do Maestro Ademir Araújo, entre seus discos e os da OPR. Por meio desse material (em MP3) constata-se a diversidade de composições do Formiga.

capa-musica-erudita

CD Música Erudita – 2001
Catalogação
Playlists Youtube
som-dos-cabocolinhos

CD Som dos Caboclinhos – 2003
Catalogação
Playlists Youtube
capa-frente-e-o-frevo-continua

CD “E o frevo continua…” – 2007
Catalogação
Playlists Youtube
olha-o-mateus

CD Olha o Mateus – 2008
Catalogação
Playlists Youtube
mestre-de-bandas

CD Mestre de Banda – 2010
Catalogação
Playlists Youtube
os-12-trabalhos

CD Os 12 Trabalhos – 2012
Catalogação
Playlists Youtube

Projeto Acervo Digital ADEMIR ARAÚJO 
Banco de Partituras Maestro Ademir Araújo
Acesse 65 Partituras autorais do Formiga:

A diversidade de ritmos e estilos musicais ligados a cultura e folklore pernambucano, nordestino, e a música popular do Brasil é uma marca de originalidade na obra na obra do Maestro Ademir.

50 partituras autorais, arranjadas e orquestradas, compostas em diferentes décadas e estilos, já gravadas, disponibilizadas.
15 partituras autorais, bônus, arranjadas e orquestradas, compostas em diferentes décadas e estilos, já gravadas mas em discos de outros artistas/grupos.
Total de  65 partituras – Estas composições disponibilizadas, por completo, dão início ao Acervo Digital como espaço de visitação e pesquisa a produção da cultura musical do Maestro Ademir Araújo (Formiga) Patrimônio Vivo de Pernambuco.
Baião (2) Coco (2) Maracatu (11) Samba (1)
Bumba Meu Boi (2) Dobrado (2) Maxixe (1) Suíte (3)
Caboclinho (5) Fantasia (2) Melodia diversas (1) Valsa (1)
Choro (1) Frevo (25) Modinha (1) Xote (1)
Ciranda (2) Hino (2) Poema Sinfônico (1)

Reconhecemos que essa disposição composicional nasceu de suas pesquisas sobre o “brasil profundo”. Formiga em seu inicio com a OPR tinha que pesquisar sobre nossa Música. Autodidata, mas de modo bastante original aprendeu a ler e escrever nosso sotaque musical e bem soube como transformar em linguagem criativa para comunicação musical.

24 Partituras de Frevo (autorais)
gravadas e disponibilizadas

Projeto Acervo Digital ADEMIR ARAÚJO 
Banco de Partituras

Inicialmente o Acervo Ademir Araújo disponibiliza 24 partituras autorias de Frevo. Chamo a atenção para o fato que a proposta original, do Acervo, era disponibilizar 50 partituras autorais.

Dessa quantidade, 24 partituras são de Frevo o que corresponde a 48% das 50 partituras citadas.

01- Acorda Gente 09- Formiga Está de Volta  17- No Ano 2000
02- Alô! Recife 10- Formiga na Cabeça 18- Pra Frente Frevo!!!
03- Andréa no Frevo 11- Frevando com Clarinete 19- Recife, Estou de Volta
04- Camisa Velha 12- Frevo na Tempestade 20- Rio Capibaribe
05- Corujinha no Frevo 13- Frevo no Mercado da Boa Vista 21- Teimoso em Folia
06- Danda no Frevo (Avanço) 14- Lá Vem os Palhaços 22- Tonico está de Volta
07- É Frevo! Minha Gente 15- Lenhadores Faz a Festa 23- Viva a Troça (Coqueirinhos de Beberibe)
08- E o Frevo Continua… 16- Nelson Ferreira, Cem Anos Depois 24- Viva o Frevo

Observações: Como Formiga me apresentou sua excelência “O Frevo”!!!!

No começo de sua vida como compositor, na década de 1960, o Frevo fazia parte do leque de criações ao qual o jovem saxofonista Ademir Araújo se dedicava. Sua experiência com essa música polifônica vinha tanto das Orquestras que participou, como da Banda e dos vários clubes de pedestres que também tocou. Há mesmo um frevo dele, “No ano 2000“, que foi muito bem referendado pelo próprio Valdemar de Oliveira.

E foi justamente com um texto do Valdemar de Oliveira (Frevo, Capoeira e Passo/1945) que o Formiga me apresentou o sentido “etnico e estético” do Frevo de Rua. Nesse mesmo período ele também me havia apresentado a monografia do Renan Pimenta, e um livro sobre Bandas Filarmônicas de Pernambuco do Leonardo Dantas. Aos pouco Formiga foi me mostrando que não era apenas música polifônica mas fundamentalmente sua ligação com nosso mais profundo modo de ser.

Estas 24 composições (partituras de Frevo) estão no disponibilizadas Acervo Digital como espaço de visitação e pesquisa sobre a produção da cultura musical do Maestro Ademir Araújo (Formiga) Patrimônio Vivo de Pernambuco.
Fonte: Acervo Digital Ademir Araújo
https://acervodigitalademiraraujo.wordpress.com/acervo-digital/

___________________________________

panfleto

HQ Biográfica – 2013

2) projeto cultural –
HQ 
FORMIGA NO CARNAVAL DA VIDA
(história biográfica em quadrinhos)
edital 2013, Funcultura

Este projeto foi possível graças as informações e dados que coletamos do Projeto Formigueiro, pesquisa biográfica realizada em 2011.

Com produção da designer Alice Santos, cartuns e argumento do Sill, texto de apresentação do jornalista Leonardo Dantas, e direção de arte do Arthur BigHead, o projeto teve apoio do Funcultura. Para entender melhor o motivo que justifica a criação, e produção, dessa obra resolvemos apresentar um resumo com vários links sobre nosso Formiga.

Sempre se fala que Música, a escola de Música, a Banda de Música ou o estudo e o exercício das Artes não é algo importante. Nesse contexto também se insere a Cultura. Mas sempre se encontra quem quebra esse preconceito. A personagem de nossa História em Quadrinhos (HQ) é uma dessas personalidades que se construiu forjando sua Música e seu estilo pessoal de ser único: assim nasceu o Maestro Formiga, ou o Mestre Ademir Araújo. Indo de encontro a maré o então aprendiz de desenho, o adolescente Formiga, lá nos idos da década de 60, percebeu que poderia desenvolver uma produtiva expressão interpretativa que, arte e cultura edificam o sentido do espirito elevando o ser a sua condição original, ou seja, singular em si próprio e ao mesmo tempo universal. De modo autodidata e intuitivo, ao longo de décadas, o trabalho do Maestro Formiga ganhou reconhecimento por isso. Indo da originalidade  individual a síntese musical expressiva do povo pernambucano.

As ações de elaboração, produção e direção dos projetos da HQ do Formiga e da Pesquisa Formigueiro, permitiram a nossa equipe refletir sobre os diferentes valores utilizados como constante variável, adaptável a possibilidade de ampliação domaestro ademir2 campo de observação biográfico visando a compreensão da intensa realidade interior do Maestro Ademir Araújo. Com o Maestro percebemos um trabalho constante focando produção! Formiga foi perfeito para visualização da mobilidade proveniente da força motriz da vida. Esse borbulhar constante se traduz nele em frevo, maracatu, choro, dobrado, valsa, etc. Em Ademir (Formiga) a observação sobre como o “Gesto Compositor” traduz várias sínteses relacionadas a vivências e densidade de alma, algo ligado ao espirito pernambucano, outrora guerreiro e autodeterminante.

“Formiga”, carinhoso apelido que o Maestro Ademir Araújo ganhou ainda no inicio da adolescência. Aqui utilizado como título poético da HQ biográfica. Ao mesmo tempo serve de mote para dar enfase ao valor estético/histórico intrínseco na personagem central dos cartuns criados pelo caruaruense Sill. O projeto foi concluído em dezembro de 2014. A História em Quadrinhos Formiga no Carnaval da Vida traduz o diário de meio século de atividade artístico/cultural. Percorre a trajetória do aprendiz que se fez instrumentista, posteriormente  pesquisador, arranjador, compositor, professor e regente. A HQ Formiga no Carnaval da Vida serve particularmente como exemplo pedagógico de amor e persistência a Música.

Adquira aqui seu exemplar da HQ Formiga no Carnaval da Vida https://mascatecultural.wordpress.com/livro-formiga-no-carnaval-da-vida/

A História em Quadrinhos é focada na excelência organizacional, autodidatismo e na ‘observação do gesto compositor’ do Maestro Ademir Araújo, o Formiga. Exibe o conceito biografia como prática de vida sobre atividade compositora. Indica “o tipo brasileiro” que se apresenta na personagem. A vida deste músico transita entre vários polos culturais pernambucanos. Sua trajetória mostra que para compor, antes de tudo é preciso viver.

_______________________________________________

formigueiroparavideo1

Pesquisa Biográfica -2011

3) Projeto  “Formigueiro”
(levantamento biográfico)
edital 2011, Funcultura.

Em parceria com a Plural Projetos, com autorização do Maestro Ademir Araújo e da produtora Alice Santos, anexamos nessa página os clipes e demais links de material desenvolvidos na pesquisa Formigueiro.

Disponibilizando vários clipes biográficos. Esse material observa a evolução do Maestro Formiga por meio do mesmo foco criado pelo sociólogo Renan Pimenta para estudar as Bandas de Música de Pernambuco, ou seja, estudo e observação da dinâmica e do desenvolvimento desta personalidade através dos aspectos “social, educacional e artístico”. Acompanhe como sua formação autodidata, os muitos aconselhamentos e incentivos que recebeu, tornaram sua arte e ciência musical numa experiência de excelência em sua relação com o Frevo e elementos da cultura popular pernambucana. Mas fazendo valer o apelido Formiga, veja faz jus. Por meio dessa apresentação você terá noção da evolução na intensa trajetória desse músico.

Maestro Ademir Araújo, professor, compositor, arranjador. Formação inicial em Pintura e Música – Escola Técnica Industrial Agamenon Magalhães. Posteriormente estudou teoria e solfejo com o professor Otávio Prazeres, e harmonia com os professores Horácio Vilela e Severino Rivoredo no Conservatório Pernambucano de Música. Curso de contra-ponto e fuga com Pe Jaime Diniz e Pe René e o Curso de música folclórica com o Maestro Guerra Peixe. Foi saxofonista por vários anos.Maestro Ademir Araújo
F o r m i g a

Experiência ProfissionalFormação inicial em Pintura e Música – Escola Técnica Industrial Agamenon Magalhães. Posteriormente estudou teoria e solfejo com o professor Otávio Prazeres, e harmonia com os professores Horácio Vilela e Severino Rivoredo no Conservatório Pernambucano de Música. Curso de contra-ponto e fuga com Pe Jaime Diniz e Pe René e o Curso de música folclórica com o Maestro Guerra Peixe. Foi saxofonista por vários anos. Atualmente é professor autônomo, compositor, arranjador.

Participou da fundação da Banda Municipal do Recife em 1958. Foi diretor dela entre 1970 e 1977. Em 1971, foi vencedor do festival de frevos dos Diários Associados com o frevo de rua “Alô, Recife”; É um dos idealizadores do Projeto Espiral, base do Centro de Criatividade Musical.

FORMIGA 184Atuou em diversas agremiações carnavalescas: Coqueirinho de Beberibe, Papagaio Falador, Bolachão de Beberibe, Seu Malaquias, Batutas de Água Fria, Madeiras do Rosarinho, Inocentes do Rosarinho, Prato Misterioso, As Pás, Lenhadores, Batutas de São José, Vassourinhas, Rebeldes Imperial, Teimoso em Folia. Além da grande amizade com Mestre Luiz de França do centenário Maracatu Leão Coroado. Em 1975 assume a regência da Orquestra Popular do Recife. Sem dar trégua o Formiga também desenvolveu intensa atividade no âmbito da politica cultural. Em muitas passagens sua agitação faz nascer horizontes para muitos outros músicos. Formiga é mestre na arte de coordenar atividades relacionadas ao estudo/prática da Música. 

Abaixo cartuns do Sill (esboço do livro HQ Formiga no Carnaval da Vida).

veja também:
Selecionamos alguns alguns links sobre o Formiga para visitação gratuita.
Desenvolvimento da trajetória:
década de 50década de 60/70década de 80década de 901ª década2ª década
Visite o arquivo do Formiga:
http://projetoformigueiro.wordpress.com/arquivo/
Apresentação do currículo:
http://projetoformigueiro.wordpress.com/curriculo/
Ouça composições do Maestro Ademir Araújo:
http://projetoformigueiro.wordpress.com/maestro-ademiraraujo-mp3/
Ouça o CD “E o Frevo Continua…”:
https://www.youtube.com/edit?o=U&video_id=MnUPbP0DpwM
.
Adquira aqui seu exemplar da HQ Formiga no Carnaval da Vida
https://mascatecultural.wordpress.com/livro-formiga-no-carnaval-da-vida/
Assista entrevista biográfica
http://projetoformigueiro.wordpress.com/entrevistas/
Anúncios