Maestro Nunes

Fonte: Youtube (diversas)
– Mosquetão (Orquestra 1º de Novembro de Timbaúba)
– Cabelo de Fogo, Banda 1º de Novembro de Timbaúba, 1975
– É de Perder os Sapatos (Orquestra do Maestro Duda)
– Frevo dos Motoristas (Orquestra de Rua)
– Folhas que não caem (Maestro Nunes)
– Depoimento do Maestro Nunes sobre a criação do mosquetão
– Maestro Nunes Orquestra Multicultural, fechando Carnaval/2011
– Maestro Nunes no Carnaval de 2014 – Marco Zero
Cabelo de Fogo
 (partitura)
Foto: fonte wikimedia

José Nunes de Souza.
Músico. Arranjador. Formou-se em Música pela Universidade Federal de Pernambuco e em Regência pela Faculdade de Filosofia de Recife.

Resultado de imagem para maestro nunes

Foto: Priscilla Buhr/Divulgação Secretaria de Cultura

Começou a tocar em bandas do interior de Pernambuco aos 9 anos.

Em 1950, mudou-se para Recife, onde integrou diversas bandas, dentre elas a Banda Manoel Óleo, a Banda União Operária da Macaxeira e a Banda do Liceu de Artes e Ofícios. Integrou também a Banda do Cassino Americano e a Banda da Cidade do Recife. Participou do MCP (Movimento de Cultura Popular).

Compôs, durante a carreira, mais de três mil frevos, tendo gravado mais de vinte, entre eles, “Cabelo de Fogo”, um dos mais famosos.

Em 1966, teve sua composição “Frevo de Mocotó” gravada no disco “Frevos para o Carnaval”, gravado pela Grande Orquestra de Coro Chantecler , lançado pelo selo Chantecler CMG.

Em 2003, seu primeiro disco, “Locomotiva do Frevo”, foi relançado, contendo alguns frevos inéditos. Além de terem se baseado em temas de voga, as músicas inéditas também homenagearam agremiações carnavalescas, como o Segura o Talo, da Turma da Jaqueira e o Acorda Povo, de Afogados.

Em 2010, lançou um CD contendo quatorze faixas, sendo todas elas frevos de rua. No mesmo ano, no carnaval de Pernambuco, apresentou-se com a sua Orquestra no Pátio de São Pedro, no Polo de Santo Amaro e em Itamaracá.

________________________________

Discografia

(2010) Maestro Nunes – 60 anos de frevo (vol. I – Frevo de rua) • CD

(2003) Maestro Nunes — Locomotiva do Frevo (CD – Vol.1)

(2003) Maestro Nunes –   Locomotiva do Frevo (CD – Vol. 2)

Fonte
http://dicionariompb.com.br/maestro-nunes

____________________________________

Resultado de imagem para Maestro Nunes

Foto: Priscilla Buhr/Divulgação Secretaria de Cultura

_________________________________
veja também:
Wikipédia

José Nunes de Souza, mais conhecido como Maestro Nunes, (Angélica, distrito de Vicência/PE, 22 de julho de 1931— Paulista-Pe, Pernambuco, 14 de setembro de 2016) foi um compositor, arranjador e maestro brasileiro.

Na década de 1950 o maestro chegou ao Recife. Aos dezenove anos de idade, Nunes já tinha experiência musical, haja vista seu interesse pelo clarinete desde os nove anos. Maestro Nunes estudou no Conservatório Pernambucano de Música.

No final da década de 1950, o jovem músico se dedicou a formação em teoria musical, estudando canto gregoriano, harmonia, canto coral e regência. Nesse mesmo período, o maestro obteve o 1° Lugar no concurso da Banda Municipal do Recife tocando clarineta. Foi militante político do Partido Comunista Brasileiro e MCP.

No final dos anos 1960, o músico se formou em Belas Artes pela Universidade Federal de Pernambuco.

Em 1972 o maestro fundou a Escola Musical do Frevo, que tinha como público-alvo os filhos dos presidentes das agremiações carnavalescas e crianças de comunidades de baixa renda.

Entre os anos de 1978 e 1979 gravou o seu primeiro Lp.

Em 1984, maestro Nunes criou a banda de Frevo do Nordeste.

Em 2003 lançou o CD Locomotiva do frevo, volume 12.

Em 2007, ano do centenário do frevo, o maestro foi homenageado no Carnaval do Recife. A sua escola de jovens formou e agregou músicos hoje reconhecidos, como o saxofonista Spok e o trompetista Forró.

Em 2009, o maestro Nunes recebeu o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco. O Maestro Faleceu em 14 de setembro de 2016 em Paulista, Pernambuco.

Em 2010 lançou o CD Maestro Nunes – 60 anos de frevo (vol. I – Frevo de rua e vol. 2 – Frevo de bloco e frevo canção). Neste CD ele homenageou diversas agremiações carnavalescas, tendo o Bloco Carnavalesco Lírico Rosas da Boa Vista como a principal agremiação homenageada, as demais foram T.C.M Cabeça de Touro, T.C.M Nóis Sofre Mais Nóis Goza, T.C.M Rainha da Sucata, B.C.L Pirilampos de Tejipió, Bloco da Saudade, Bloco Batutas de São José e o Bloco Eu Quero Mais.

O maestro Nunes compôs frevos como:
É de perder os sapatos,
É de rasgar a camisa,
Cabelo de fogo,
Mosquetão,
Bala doida,
Bomba-relógio,
Folhas não caem.

O maestro teve seu valor reconhecido em vários festivais e concursos de música, como o Lêda Carvalho, Frevança, Sistema Globo de Rádio e Recifrevo.

__________________________________________
Fonte:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Nunes_de_Souza
veja também:
Sociedade Musical 1º de Novembro – Angelicas 1922 (distrito de Vicência/PE)
Banda Musical XV de Novembro – Vicência 1903 (centro de Vicência/PE)
__________________________________________
Memória Virtual
https://catalogobandasdemusicape.wordpress.com/memorial-virtual/