Manoel Carvalho de Oliveira

Clarinetista/Saxofonista/Regente

Maestro Manoel Carvalho 3Natural de Palmares/PE, nasceu em 1948 e iniciou seus estudos musicais aos nove anos, com o professor autônomo Maestro José Ramos da Justa e com o professor Júlio (este ligado a Banda dos Ferroviários, em Palmares/PE). Com 10 anos, ingressou na Banda de Música 15 de Novembro, onde desenvolveu suas primeiras experiências práticas com banda. Com 13 anos, recebeu de seu pai e grande incentivador para estudar música, João Zeozino, um saxofone alto. De posse deste instrumento, e já em condições musicais para o trabalho, formou o seu primeiro conjunto, o septeto “Os Mancines”, que durante cinco anos, na década de 60, fez muito sucesso em apresentações em Pernambuco e Alagoas. Os Mancines foi também seu laboratório musical para as práticas de solfejo, harmonia e orquestração. Pois naquele tempo, em Recife, não contava com nenhuma loja para a venda de partituras e todo o material musical tinha que ser feito artesanalmente. Em 1966 ingressou na Banda na Banda da PMPE, foi indicado pelo Sgt. Getúlio que também fora regente da Banda dos Ferroviários 15 de Novembro (Palmares). Em 1968, ingressou na Banda da Base Aérea de Brasília, sendo um dos seus fundadores, e participou durante dez anos.
Bacharel em Clarineta e Licenciado em música pela Universidade de Brasília, foi professor da Escola de Música de Brasília por 30 anos. No CEP/Escola de Música de Brasília é o responsável pelas formações da Banda Sinfônica, Superband Jazz, e Banda Primeiros Sons, em todas, atuando como regente e solista. Por mais de dez anos tem trabalhado como professor e regente do Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília, tenho se apresentado em outras cidades do Brasil e do exterior. É ainda clarinetista da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, sendo um dos seus fundadores. Participa de vários conjuntos de música de câmara e música popular.
(fonte: site Brapo)

Maestro Manoel Carvalho - Brapo (DF)Maestro Manoel Carvalho,

“apresentamos a trajetória de um músico
que diversificou seus serviços com profissionalismo 
está completando 50 anos de atividade musical
iniciada, em Palmares, nos anos 60
e em ação continua em Brasilia”

Clipe 1

Assuntos abordados:
* aos 13 anos inicia a carreira musical em Palmares/PE
* o apoio paterno, fonte de inspiração
* sua jornada iniciou aos 09 anos, em 1957
* ingressa na Banda Ferroviária 15 de Novembro, ligada a Great Western
* Entre 1881 e 1950 a Great Western construiu ferrovias em PE
* O apoio dos engenheiros da Ferroviária, junto a prefeitura de Palmares foi fundamental
* tendo iniciado aos 09 anos, aos 10 anos passa a tocar clarineta na 15 de Novembro
* a relação de desenvolvimento da educação musical apoiada pela Great Western, depois pela Rede Ferroviária, também se fez em outros munícios com ótimos resultados a exemplo de Jaboatão
* além do apoio institucional o Maestro Manoel Carvalho analisa a importância
* do apoio recebido no núcleo familiar
* em casa, tendo acesso a vários instrumentos, aos 13 anos ganhou um sax alto do pai
* com esse sax, além de praticar na  Banda 15 de Novembro,  cria o grupo musical “Os Mancines”
* em 1961, aos 13 anos, percebe oportunidades no mercado de entretenimento na região de Palmares
* nesse período o jovem Manoel aprendia a construir arranjos, pratica desenvolvida com José da Justa
* estudou com o professor José Ramos da Justa ou José da Justa (solfejo, arranjo, escrita)
* a importância do professor José da Justa, músico e compositor
* José da Justa, inicia o então garoto Manoel Carvalho em solfejo
* reconhecia a importância do solfejo para composição, arranjos, orquestração
* José da Justa também iniciou o aprendiz Manoel Carvalho no estudo da Harmonia
* vinte anos depois o aprendizado com José da Justa se fazia atual
* a importância do professor José da Justa no desenvolvimento do Maestro Manoel Carvalho
* com o sax dado pelo pai e com o conhecimento passado pelo mestre José da Justa,
* o aprendiz Manoel Carvalho monta seu primeiro grupo “Os Mancines”
* o estudo de harmonia e escrita foi desenvolvida na prática musical
* vinte anos depois o aprendizado com José da Justa se fazia atual

Clipe 2

Assuntos abordados:
* aprendizado, banda de música, oportunidades, exercício constante,
* de Palmares a Brasília
* o valor do aprendizado para vida profissional
* o começo do ensino na Escola de Música de Brasília
* e a formação de Bandas de Música, Big Band e Orquestras
* a importância da Banda como base na formação
* nos anos 60, em Palmares, o Maestro Manoel formou o grupo “Os Mancines”
* entre 1958 e 1966  desenvolveu, estudos, na Banda 15 de Novembro de Palmares
* com o retorno do Maestro Getúlio, a Banda da PMPE, surge o convite
* aos 18 anos, 1966,  ingressa na Banda da Policia Militar de Pernambuco
* aos 20 anos passa no concurso  para a Banda da Base Aérea de Brasília
* a ascensão social possibilitada pela Música nas décadas de 60 e 70
* a atual falta de incentivo para carreira de músico militar
* entre 1966 e 1968 o músico Manoel Carvalho transitava entre Recife e Palmares
* participou da Banda da PMPE entre 1966 e 1968
* a ponte Brasília-Recife aproximou o Maestro aos grandes da música pernambucana
* 1968, aos 20 anos, presta concurso para Banda da Base Aérea de Brasília
* participou da Banda da Base Aérea de Brasília entre 1968 e 1978
* aos 30 anos deixa a Aeronáutica
* além de sua formação musical também cursou Ciências Econômicas
* os 10 anos na  Banda da Base de Brasília, ocorreu seu desenvolvimento acadêmico
* o  atual campo profissional para músicos de Bandas e Orquestras

Maestro Manoel Carvalho - Brapo (DF)Maestro Manoel Carvalho

“desde o inicio de sua carreira, em Palmares,
até as múltiplas atividades musicais em Brasilia
soube administrar a própria vida profissional,
nesse sentido mostra como é importante
utilizar as oportunidades como exercício constante”

Clipe 3

Assuntos abordados:
* o músico e o tempo
* maximizando as oportunidades
* bacharelado em clarineta
* no mesmo período ingressa na OS do Teatro Nacional Cláudio Santoro
* passa a ensinar na Escola de Música de Brasília
* nesse mesmo período cria a Brapo
* o desenvolvimento da “regência” aprendizagem com o Maestro Cláudio Santoro
* da vivência na Orquestra Sinfônica e na Escola de Música de Brasília
* passa a desenvolver a formação de Bandas
* Brasília Popular Orquestra (Brapo)
* Maximização de resultados pela sobreposição de atividades
* Curso Internacional de Verão (DF)
* Música como formação contínua e vivência coletiva
* o mesmo conceito de vivência construtiva se faz no Curso Internacional de Verão
* Curso Internacional de Verão (DF)
* vivência musical em Banda e Big Band
* os bons resultados didático-prático
* Curso Internacional de Verão é uma iniciativa da Escola de Música de Brasília
* a linguagem desenvolvida para os exercícios torna sua didática universal
* Brasília Popular Orquestra (Brapo) é uma iniciativa do Maestro Manoel Carvalho
* o maestro foi professor da Escola de Música de Brasília dos anos 80 até 2010

Clipe 4

Assuntos abordados:
* do aprendizado ao ensino e técnica musical
* fala sobre técnica de construção de arranjos
* como exercícios para vivência musical em Big Band
* Maestro Manoel Carvalho, reconhece didática como reflexo entre prática e teoria
* aprendizado desenvolvido com o professor José da Justa (Palmares, nos anos 60)
* José da Justa continuou a produzir até 2009
* o professor José da Justa foi um grande compositor e arranjador
* Manoel Carvalho, clarinetista Orquestra Sinfônica (DF) há três décadas
* OS de Brasília possibilitou a convivência com grandes músicos
* o menino do interior que construiu seu sonho com Música em outro estado
* participação pública na educação, artes e cultura
* o choque com a realidade cultural nacional
* a crise artístico-cultural na atualidade
* Banda dos Ferroviários 15 de Novembro e Maestro Getúlio (Palmares, 1959)
* analise da atual situação de Palmares e cidades vizinhas
* a importância da Banda no interior
* a importância do dobrado para as Bandas

Brasília Popular Orquestra – Brapo

Formada há quase 30 anos, a Brapo tem o compromisso de apresentar aos brasilienses o melhor do Jazz e da Música Popular Brasileira

Brapo 1Em 1982 o Maestro Manoel Carvalho formou a Brasília Popular Orquestra (Brapo), Big Band, e é o band leader da orquestra, que tem se apresentado em Brasília e em outros estados, fazendo temporadas ou mesmo shows em festas e recepções. Ao longo de três décadas a Brapo deu possibilidade a vários músicos, vivenciar o ambiente de Big Band e com isso desenvolver técnica interpretativa em conjunto, o que gerou bons resultados.
A Brasília Popular Orquestra (Brapo) ganhou os palcos de Brasília no final de 1982 e desde então não parou mais. Maestro Manoel Carvalho de Oliveira, que é bacharel em clarineta, licenciado em música pela Universidade de Brasília (UnB) e um grande apreciador do jazz, fez nascer na capital a big band, que este ano comemora seu trintenário com força total. O objetivo do maestro foi oferecer ao público do Distrito Federal uma orquestra popular e contribuir com a cultura da cidade, bem como promover a prática e o aperfeiçoamento técnico dos artistas. “Hoje a Brapo tem orgulho de ser referência em Brasília. Prova disso são as várias gerações de músicos que, nesses quase 30 anos, passaram pela Big Band”, conta orgulhoso Manoel Carvalho.
   Trajetória e formação – Durante todos esses anos, a Orquestra tem atuado em festivais de jazz, shows, festas, recepções, projetos das Secretarias de Cultura e Turismo. Tem se apresentado também em salas de espetáculos de Brasília e de outros estados, feito tudo isso em vários formatos. A Brapo, em formação de big band, é atualmente composta por: cinco saxofones, quatro trompetes, quatro trombones, piano, guitarra, contrabaixo, bateria, percussão e voz. Atualmente, a Brapo possui um repertório vasto e amadurecido, incluindo músicas de Glenn Miller, Duke Ellington, Severino Araújo entre outros. Porém, conta ao mesmo tempo com peças de arranjadores e compositores atuais, que são mais arrojados e modernos, como Toshiko Akioschi e Bob Mintzer. “Hoje a Brapo tem investido também na formação profissional, estimulando os músicos a realizarem arranjos próprios, o que pode contribuir para incrementar ainda mais o seu set list.”
   Nesses trinta anos, a Brapo teve o privilégio de contar em sua formação com músicos conceituados, entre eles: Jorge Hélder (contrabaixista), Moisés Paraíba (trompetista), Adriano Gifoni (contrabaixista), Lula Galvão (violonista), Sérgio Galvão (saxofonista), Renato Vasconcellos (pianista), Antônio Botelho (contrabaixista), Paulo André (violonista), Oswaldo Amorim (contrabaixista). Além dos veteranos que estão desde a formação inicial da Orquestra, entre eles, Fernando Henrique Machado (saxofonista) e Paulinho do Trombone, ambos professores do Centro de Educação Profissional Escola de Música de Brasília (CEP/EMB). A Brasília Popular Orquestra (Brapo), neste ano, apoiada pela Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal (SECDF), vem trabalhando com o compromisso de realizar apresentações em vários pontos da cidade. “Com o apoio do Fac, torna-se possível ampliar a nossa popularidade, pois, com esse recurso, temos mais condições de realizar shows abertos ao público”, ressalta o maestro Manoel Carvalho.
____________________________________________
o clipe acima encontra-se no canal Youtube Brapo, visite:

https://www.youtube.com/channel/UCb3PuJC-jZz2WhslbooXViA
site da Brapo (Brasília Popular Orquestra)
http://www.brapoorquestra.com/
visite também a página do professor e maestro José da Justa, Palmares/PE
https://catalogobandasdemusicape.wordpress.com/maestro-jose-da-justa/
Dezembro de 2015. Registro realizado pelo fotografo Marcelo Dischinger (DF). 
Missão Cumprida – Despedida do maestro Manoel Carvalho da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro Brasília 
____________________________________________

Professor e Maestro José da Justa, homenagem ao mestre: 

PROF. JOSÉ DA JUSTA E Maestro MANOEL CARVALHO

Maestro José da Justa e seu ex-aluno Maestro Manoel Carvalho, 1998

logomapeamento

Anúncios