Entrevista

Gasparina de Miranda
modelo gerencial 

presidente da Banda Musical Padre Galdino/Pombos-PE
Gasparina 4

Gasparina é pesquisadora, escritora, professora e artista plastica

Possivelmente em novembro de 2013, Dona Gasparina deixe a presidência da Banda Padre Galdino. O modo e as soluções que encontrou, e desenvolveu, para soerguer a BMPG nos chamou a atenção. Veja algumas das ações que realizou por meio dos links abaixo:
Entrevista
   (realizada em novembro de 2013, via mail)

Ponto de Cultura x Dona Gasparina

Ponto:
* quando a Senhora assumiu a presidência da Banda?
* quais as dificuldades daquela época?

Dona Gasparina:
Dificuldades: todas, possíveis e imaginárias: do chão ao teto, do burocrático ao físico, do quintal à porta da rua.

Ausência quase que total de documentos: cadastro de sócios, matricula, controle de fardamento e do instrumental, inexistentes; o Estatuto, superado cheio de emendas e estragado, datava de 1958; Livro de atas, apenas um, datado de 1958; atraso de documentos com Receita Federal, legalmente a Banda ainda estava sob a responsabilidade do antecessor do meu antecessor; não havia arquivo; os dois banheiros sem portas, tinham portas, mas, no chão; o quintal cheio de mato e lixo;

Goteiras… muitas goteiras; quando chovia, a água do telhado do lado direito não escorria  para frente nem para trás, derramava para dentro das saletas, e com isso se perdeu grande parte do acervo; não havia sequer um filtro de barro para os alunos/músicos beberem água; os acentos eram cadeiras escolares de braço em número de vinte e cinco, armação de ferro, encosto e acento em madeira, velhas e estragadas, logo depois foram doadas para uma  associação de agricultores do assentamento de Ronda que aproveitaram as partes inteiras em reformas.

Parte da instalação elétrica, feita na gambiarra, os fios empoeirados, pendurados entre as teias de aranha; as descargas dos banheiros sem funcionar; apenas uma caixa d água de cem litros, sem bóia,  para atender todas às necessidades da sede da Banda; quando chegava água (uma vez por semana) o desperdício era total; débito com a COMPESA: contas de meses variados desde o ano  2000 (dois  mil), mais de R$1.000,00 (+ de mil reais) de contas de água para pagar. Nenhum centavo em caixa e sem saber quem eram os sócios para começar a realizar a cobrança mensal. Não podendo deixar de registrar os problemas de indisciplina, das mais diversas naturezas.

Perguntava-se:

_ Quem são os sócios? Quem são os músicos? Quem são os alunos? Com quem estão os instrumentos da Banda? Tem fardamento? Com quem está? _ Perguntas sem respostas. Ninguém sabe ninguém viu. Ninguém registrava nada. Também ninguém prestava conta de nada.
“CACOS DE UMA BANDA que um dia teria sido Banda”.
Foi mais ou menos assim, que Gasparina Pereira de Miranda  recebeu a Banda Musical Padre Galdino, na noite do dia 09 de junho de 2009. Em clima de festa. Festa essa, apoiada pela Prefeitura, promovida pala Secretaria de Educação Local.

Ponto:
* fale sobre o premio Funarte (sobre instrumentos)

Dona Gasparina:
Seguindo as determinações do Edital do ano 2010, a Banda Musical Padre Galdino ingressou no Concurso Público de Prêmio Procultura de Apoio a Banda de Música, financiado pelo Ministério da Cultura – via  FUNARTE.

Em janeiro de 2012, recebemos a notícia (dada pela senhora Rosana G. Lemos) de que a Padre Galdino havia sido premiada com R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para compra de instrumentos de sopro e percussão. Uma de suas maiores vitórias. Caso contrário, Ela hoje estaria fechada por carência de instrumentos. No início de fevereiro daquele ano tal recurso estava depositado na conta da Banda, na agência de Banco do Brasil da cidade. Novas expectativas… A maior de todas… Anúncio de novos tempos… Porém, na verdade, o maior conquista desta temporada foi a total eliminação da indisciplina. Na Padre Galdino não mais existe este tipo de problema.

Ponto:
* quais as dificuldades atuais?

Dona Gasparina:
Com a chegada dos novos instrumentos e uma série de novas medidas administrativas a demanda foi aumentando, na sua maioria de jovens e crianças (a partir de dez anos) de famílias humildes, de baixo poder aquisitivo. Hoje, o acervo instrumental não é mais suficiente. Não atende mais a procura. Até o ano passado (2012) o professor/regente era remunerado pela prefeitura. A arrecadação mensal doada pelos sócios servia para manutenção da Banda. No momento, primeiro temos que pagar ao regente e depois ver a manutenção.

Atualmente as maiores dificuldades estão no pagamento do salário do regente, uma gratificação para um aluno monitor e a compra de mais instrumentos. Em especial trombones e saxofones. Não esquecendo de uma necessidade vital que é a de: um Secretário  ou equivalente, com tempo disponível para cuidar do controle e manutenção das instalações, do instrumental, do fardamento, da freqüência, e  de outros pormenores.No momento estes afazeres são atribuição do presidente.

A cultura de Pombos convencionou como se o Presidente fosse o “DONO” da Banda, seu total responsável, ao ponto de me perguntar: _ A senhora agora é que é a dona da Banda, não é? Eu respondo: _ não, eu sou apenas a presidente, em breve será outra pessoa. _A Banda é do povo de Pombos, é de todos que queiram colaborar com ela._ Quer ser um colaborador? A partir daí ela será sua também.

Ponto:
* o que sua administração realizou?

Dona Gasparina:
Seguindo a linha do tempo – começou pela documentação. Primeiro o cadastramento e aquisição de sócios; seguido pela matrícula dos alunos/músicos e ao mesmo tempo a reformulação, revisão e o registro do Estatuto. Em seguida: pedir, pedir e pedir.

De início, com apoio dos sócios e a colaboração de Elmo Paraibano foram compradas trinta cadeiras brancas, em PVC, marca Tramontina.

 Em 2009:
Aquisição – através de doação:

Pela Secretaria de Educação, trinta + vinte cadeiras em PVC alaranjadas com armação de ferro; pelo Deputado Cadoca, tintas para pintar o prédio; Por Seu Genaro da Pedreira, meio caminhão de brita para colocar no quintal; pela Prefeitura, mão de obra e blusas para os músicos se apresentarem no sete de setembro.

Foi realizada, a restauração geral no prédio: demolido um tanque que aproveitava a parede esquerda do fundo do imóvel, causando vazamento; retirado e reposto todo o telhado; feita a queda necessária para escoamento da água do telhado e a reposição de novas telhas) nas três saletas; também foi substituída a instalação elétrica de todo prédio; nos banheiros foram consertadas as descargas dos dois vasos e feita a aposição das portas; construída a calçada do quintal; ampliada e restaurada a instalação hidráulica; trocada a fechadura da porta de entrada e posto alguns ferrolhos das janelas; e pintado todo o prédio, paredes e portas; restaurados um quadro mural e um de giz.

Em 2010
Aquisição –  através de:

Doação do Deputado Cadoca, um gelágua de mesa.

Comprados  com a mensalidade dos sócios: Uma caixa d’água Brasilit com capacidade para mil litros e um gelágua de coluna; dois clarinetes Michael – dezessete chaves, um, doação de Seu Genaro da Pedreira e o outro, com recursos dos sócios; uma mesa retangular para reuniões; uma mesa redonda apoiada num armário; uma foto e quadro do desfile de sete de setembro; aquisição de duas toalhas, bege rendadas, para uma mesa e um birô preexistente;  quitação do débito com a COMPESA; e  inclusão no Projeto de Apoio à Bandas de Música – Edital 2010 – promovido pela FUNARTE/MinC.

Em 2011:
Doados da Prefeitura, fardamento para o sete de setembro = calça social preta, boina azul marinho e camisa social branca; e um trompete NY, dourado – por Seu Genaro da Pedreira.

Adquiridos através de compra = outro trompete NY, dourado.

Nesse ano foi composta a Letra de um hino em homenagem à Banda; projetada a Bandeira da Banda; projetado e fabricado o quadro/mural de documentos; comprados, um relógio de parede e um fardamento para o Regente; ampliada a foto, produzido um histórico do Padre Galdino e colocados em molduras; posta uma porta, em PVC, de ligação entre as duas primeiras saletas; reveladas e emolduradas fotos antigas da Banda; e produzido um arquivo de madeira com capacidade para cerca de trinta pastas suspensas.

Em 2012:
Construção de duas saletas com estrutura para primeiro andar = uma para guardar do instrumental e a outra para servir de vestiário; compra de mais uma caixa com capacidade para armazenar mil litros de água; pintura parcial do prédio; a premiação da FUNARTE/MinC = R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) compra de instrumentos musicais: três pares de pratos, uma trompa de harmonia, dois trombones de vara, dois sax alto, dois tenores, quatro trompetes, seis clarinetes 17 chaves, um tuba bombardão, um flautim, uma requinta, duas flautas transversais e uma bateria,

Doação da secretaria de Educação – doze mezinhas escolares a serem restauradas e adaptadas como estantes.

Em 2013:
Ano do sufoco. O Regente ficou doente e deixou de ser remunerado pela prefeitura. De janeiro a abril as atividades rotineiras (cinco horários por semana) ficaram quase que paradas. Só a partir de maio foram recomeçadas em comum acordo com um dos egressos para fazer um ensaio com os músicos, aos domingos.  Naquele momento era o que se podia pagar. Os alunos ficaram de fora, sem atendimento. Diante do contexto, foi iniciada uma campanha, na busca por novos sócios, através da Rádio Comunitária Brasil FM e do boca a boca. Com essa medida foi conseguida a adesão de quase trinta novos sócios. No mês de julho foi retomada uma aula por semana. Ficando até o presente momento (11/2013) com um ensaio e uma aula semanal.

Ponto:
* a quanto anos está a frente da Banda?
* o que mudou?
* o que a Banda pode esperar para o futuro?

Dona Gasparina:
A gestão Gasparina, como Presidente, teve início no dia 09/06/2009 e terminará em 19/12/2013 – fazendo um total de quatro anos e meio.

Quanto ao que mudou, no decorrer da leitura, comparar como foi encontrada com o que está sendo deixada, aí estará a resposta. A Banda tem que ser otimista, esperar sempre o melhor: atender a quem a procura; manter-se viva; manter a esperança que as autoridades a olhe e a veja; que seus futuros administradores honrem o seu nome e não só o título que dela recebeu. O seu patrono é tão forte, acredito eu, ser esta a maior razão da Banda Musical Padre Galdino atravessar o tempo e ainda existir.

Ponto:
* sua experiência profissional, ao longo de 30 anos, ajudou a Senhora a desenvolver a administração da Banda?

Dona Gasparina:
Toda experiência é válida quando se trata de administração. Trabalhar com gente  requer determinadas habilidades. Alguma delas só se adquire com vivência. Quando Professora lidei com crianças e jovens e quando Supervisora e Secretária de Educação, com crianças, jovens e adultos. Muito aprendi com esse povo. Hoje me relaciono bem com todo esse público, especialmente com os jovens da minha cidade. O contato com eles me rejuvenesce.

Ponto:
* o que a Senhora vem aprendendo com a administração da Banda?

Dona Gasparina:
Primeiro que tudo, aprendi a pedir. Desde meus treze anos de idade comecei a trabalhar fora de casa para não ter que pedir a meu pai. Sempre tive espírito de independência, nunca me senti bem pedindo para mim. A Banda me fez virar pidona. Para ela peço descaradamente, sem cerimônia. Acresci meus conhecimentos sobre a construção de uma Banda Musical e alguns detalhes sobre seus instrumentos. Quem não olha para frente termina ficando para trás. Que a convivência pacífica com os jovens nos empurra para frente. Quando se quer: a vida é um eterno aprendizado.

Ponto:
* o que a Senhora aconselha para outros administradores de Bandas de Música, para superação de problemas?

Dona Gasparina:
Dizem que as pessoas mais ocupadas são as que mais tempo têm. Elas criam tempo até onde não existe. Portanto, se não tem tempo, saber criá-lo. Se não sabe pedir, aprender a fazê-lo. Ser honesto para que todos creiam em você. Gostar de música. Procurar ser amigo (a) dos músicos e dos alunos, tratá-los com amabilidade, mas com firmeza: ser sim, sim, não, não. Relacionar-se bem com o Regente, planejar juntos. Pedir, ao invés da mandar. Se não sabe, procurar aprender a digitar, vai precisar disto. Não esperar muito das autoridades, dos políticos. Confiar mais em si, no que poderá fazer. Ser criativo (a) não deixar que os problemas se acumulem. Servir de espelho, pensar antes de agir, para não ter que voltar atrás. Isso pode parecer falta de firmeza e perca de credibilidade.

Ponto:
* o que representa uma banda de música numa cidade do interior?
* qual a utilidade dela?
* como ajudar?

Dona Gasparina:
Uma Banda/Escola de Música como é a de Pombos representa muito para seu povo, assim como: veículo de ascensão social; geração de oportunidades; ocupação para jovens sem perspectivas de futuro; esperança de muitas Mães; alimentação e preservação da cultura musical local; beleza e perpetuação dos ideais de nossos antepassados; e a honra de se ter e manter uma banda musical.

A Banda/Escola Musical Padre Galdino pode receber apoio material ou financeiro de qualquer instância, seja ela local, nacional e até internacional. Ela é uma sociedade civil, de direitos privados sem fins lucrativos. E reconhecida como: Patrimônio Histórico e Cultural do Município; Entidade de Utilidade Pública Municipal; e como uma Instituição Filantrópica que atende gratuitamente Jovens e crianças, de qualquer classe social, a partir de 10 anos de idade.

Ponto:
* o ponto de cultura ou o catálogo bandas de música estão colaborando de algum modo com o soerguimento da BMPG?

Dona Gasparina:
O ponto de Cultura que abraçou a causa “Catálogo Bandas de Música de Pernambuco” nos faz continuar acreditando que ainda há quem se lembre desta maravilha interiorana. Que ainda há quem trabalhe por sua divulgação, que deseje sua perpetuação, que enxergue o bem sócio/cultural representado pelas Bandas Musicais nas pequenas cidades, especialmente nas que oferecem poucas opções de lazer e ocupação para juventude.

Ponto:
* no final perguntamos a Dona Gasparina: se for muita coisa nos fale? poderemos resumir, mas a ideia é que as pessoas tenham uma imagem da “Gasparina” como administradora, o que me diz minha amiga?

Dona Gasparina:
Digo que vocês são maravilhosos. E ”doidos”, iguais a mim.

_____________________________
Gasparina Pereira de Miranda
Pombos PE – 11/2013
_____________________________

Resumo biográfico 

http://www.flipsnack.com/A7A9E67EFB5/fdtpf7zv – Parte I

http://www.flipsnack.com/A7A9E67EFB5/fdc9sx17 – Parte II

___________________________________________

Páginas da Banda Musical Padre Galdino

http://bandamusicalpadregaldino.wordpress.com/
http://bandamusicalpadregaldino.wordpress.com/dgasparina/
http://bandamusicalpadregaldino.wordpress.com/modelo-gerencial/

Anúncios