NANÃ

O TROMBONE ROMÂNTICO, UMA VIDA MUSICAL

compositor Nanã
Fonte: equipe Catálogo

homenagem in memoriam

“Nanã” (1929/2015)

“Nanã” foi um amante incondicional da Música, que ela conduza seu ser etérico ao ser eterno do Cosmos.

Clóvis Assis Aragão, Músico, Compositor e Arranjador, mas conhecido pelos amigos como “Nanã”, nasceu em Santa Cruz do Capibaribe em 1929, onde aos 13 anos iniciou seus estudos musicais pelas mãos do Professor Nôzinho, Maestro da Banda Novo Século – Sta. Cruz do Capibaribe.

Começou como ritmista, tocando Surdo, passando em seguida para Trompa, seu primeiro instrumento de sopro; depois veio o Trombone e posteriormente para o Piston (trompete), sendo no entanto o Trombone o principal instrumento de sua carreira como músico. Hoje aos 85 anos continua compondo, e sem utilizar instrumentos para tal. Vamos fazer um resumo de sua trajetória musical.

Clovis Aragão “Nanã”, fez arranjos teve composições executadas, gravadas e como músico tocou também nas seguintes Bandas de Música e Orquestras de Frevo:

Bandas de Música:

  • Banda Musical Novo Século – Maestro Nôzinho – Sta. Cruz do Capibaribe – PE;
  • Banda Nova Euterpe – Maestro Budião;
  • Banda Comercial –  Maestro Sargento Romildo e Capitão Casaquinha – Caruaru – PE;
  • Banda do Exercito “71B” – Maestro Tenente Gomes – Garanhuns – PE;
  • Banda da Policia Civil do Distrito Federal – Maestro Tenente Daniel;
  • Banda Militar do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal – Maestros Capitão Ivanildo Borges de Moura e Capitão José Cândido Batista Alves;
  • Banda da Guarda Presidencial (BGP)

Orquestras de Frevo

  • Motorista;
  • Clube Vassoura;
  • Nova Euterpe;
  • Orquestra do Budião;
  • Bloco Cacho de Coco – Sou teu amor – “Zé de Nei” – Caruaru
  • Bloco Clube Lido do Vitória de Santo Antão/PE

Obs.: Nanã tocou sempre com a intenção de ajudar a fazer os saudosos Carnavais de Rua e de Clubes de Pernambuco, principalmente no interior do estado, em vários municípios.

Gravações: CD e DVD

  • Banda da Guarda Presidencial – BGP – Brasilia (CD – Dobrado “Mocinha Aragão”)
  • Banda do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CD e DVD – Música “Som de Retreta”, dedicado ao amigo Ivanildo Florêncio e sua mãe Onorfa Florêncio.

Composições:

Nanã
Fonte: idem

Compôs mais de 50 obras musicais, entre Dobrados, Marchas, Frevos de Rua, Frevos de Bloco, Frevos Canções, Marchinhas, Baiões, Samba e Canções (MPB).

Destaque para os Frevos de Rua: Vagalume, Brincando com os Netos, Paulo Miranda no Frevo e Feito em Brasília; Outros destaques as Canções: Quadrilha da Saudade, Titia Maria; o samba “Valiosa Surpresa”; as marchinhas “Amor de Mãe e Quem Ama Sofre” e o baião “Valor Inesquecível”.

Amigos e lembranças:

Professor, compositor, maestro Ulisses Lima // Maestro Nôzinho // Maestro Budião //Maestro Mozart Vieira // Maestro Vavá Vieira // Maestro Vigarino // Maestro Aristides // Maestro Capitão Casaquinha // Ivanildo Florêncio // José Cavalcanti // Roosevelt Gonçalves // Maestro Bitonho // Vavá do Piston // Sargento Romildo // Maestro Normando Menezes // Maestro Tenente Daniel // Maestro Capitão Ivanildo Borges de Moura // Maestro Capitão Candido Batista // Maestro Nelson de Almeida // Maestro Tenente Gomes // Aquiles do Tenor // Sargento Aluísio (Músico da Banda do Corpo de Bombeiros DF, seu irmão “in memória”)

Abaixo segue entrevista realizada com o compositor Nanã:

Clipe 1 – o inicio na Sociedade Musical Novo Século (Santa Cruz do Capibaribe/PE), o exemplo de casa lembranças do pai que foi músico e tocou por muito tempo com o Maestro Levino Ferreira;

OBS.: Errata tema clipe 1: Brincando com os netos (frevo do compositor Nanã)

Clipe 2 – o presente de uma namorada (ou a descoberta do instrumento de apreciação), “composição” Nanã desenvolve como arte intuitiva (aqui cabe uma observação: ele compõem sem utilizar para instrumento para isso);

Clipe 3 – sua originalidade no gesto compositor é usar da imaginação e sentimento substituindo o instrumento, lembranças do irmão músico militar, “a despedida” como o ultimo concerto em Santa Cruz do Capibaribe com suas composições e arranjos;

Clipe 4 – importância da Banda de Música, lembranças de vários Mestres de Banda, a genialidade de Nanã: o gesto compositor intuitivo e sem instrumento;

Clipe 5 – Aquiles saxofonista (músico admirador do compositor), falta de reconhecimento em Santa Cruz do Capibaribe/PE, versos de saudade (para a esposa falecida há 6 meses);

Clipe 6 – Música rito entre gerações, reconhecimento do musico Aquiles, original gesto compositor de Nanã;

Clipe 7 – Nanã é mestre no gesto compositor intuitivo e na lógica de arranjos complexos, mestre na criação entre diversos estilos da MPB;

Clipe 8 – boas recordações, o bocal do pai, encontro com Luiz Gonzaga;

Clipe 9 – o gesto compositor no Frevo: sabedoria pernambucana, o registro no Catálogo online Bandas PE (a entrevista biográfica).