Newton Caivano

Nilton Caivano

Newton Caivano, esse músico paulista é o mais pernambucano entre nós

Saxofonista, articulador, produtor cultural, arranjador, professor e maestro, bacharel em direito, pós-graduado em psicopedagogia e comércio exterior. Certo dia… conheceu o “Frevo”. Desde então esse músico paulista é o mais pernambucano entre nós. Seu amor ao Frevo é algo declarado.  De certo modo se doa a causa do Frevo, mais que nós mesmos.

“Bom seria se o puder público tivesse 30% da disposição que o Newton Caivano divide com importantes nomes da cena do Frevo”.

Vindo de família de músicos, iniciou na música aos 06 anos, fazendo sua primeira audição de piano em 16 de novembro de 1957 na cidade de Matão SP.

A partir de 1958 seus estudos musicais foram em Araraquara-SP e depois no Conservatório Carlos Gomes de Ribeirão Preto-SP.

Fez diversas apresentações em 1961 e 1962, tanto de piano como de flauta, na TV TUPY  Canal 3 de Ribeirão Preto dentro do projeto NOSSA GENTE.

Sempre estudou a flauta (Spartaco Rossi foi seu primeiro professor em Ribeirão) e, após fevereiro de 1963 o saxofone foi seu motivo de estudo, deixando o piano e se dedicando exclusivamente aos instrumentos de sopro.

Nesse ano passou a integrar o quadro de músicos da gravadora Decson, onde atuava com Bidinho, Peri, Jacaré, Verdi e outros, com os quais montou um conjunto (Módulo 7) para bailes, shows e Festivais Universitários pelos Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Minas Gerais.

Acompanhou artistas de renome em shows e em turnês pelas maiores cidades dos Estados acima. Atuou em: Orquestra Laércio de Franca, Sambalanço, Apolo 11, Orquestra Nelson de Tupã, Biriba Boys e outros.

Teve, em conjunto com Bidinho, o prêmio de melhor arranjo  música Caminhante de Ruy Baiano e Milton Capellato, vencedora do Festival Universitário de Ribeirão Preto 1968, no qual também foi considerado o melhor instrumentista (flauta) por improviso executado na música Primavera, de José Geraldo.

No Festival de 1970, teve o prêmio de melhor arranjo na música de Elias Jabur: Samba Jurídico.

Estudou harmonia e improviso de jazz, bossa nova e MPB com Casézinho (Valtinho), Renato Peres e Hector Costita. Fez Máster Classes com Bolão, Lambari e em São Paulo em saxofone.

Após o carnaval de 1972, por motivos pessoais, deixou a música como instrumentista profissional e passou a assessorar artistas, escolas e grupos ligados à arte musical.

Também em 1972 recebeu o certificado de Bacharel em Direito pela Unaerp  .

Em 1983 recebeu o certificado de Pós-graduado em psicopedagogia pela UNESP 

Em 1981 recebeu o certificado de Pós-graduado em Comércio Exterior pela FAAP .

Em 1996 participou de cursos de Regência com o Maestro Julio Medaglia.

Em 2001 fez cursos de Férias no Conservatório de Tatuí  SP (CDMCC); Curso de Harmonia, Composição e Arranjo com Maestro Neves.

Participou em 2002 da I Conferência Sul-Americana de Compositores, Arranjadores e Regentes de Banda Sinfônica em Tatuí-SP.

Em 2003 participou da II Conferência Sul-Americana de Compositores, Arranjadores e Regentes de Banda Sinfônica no Memorial da América Latina em São Paulo. Fez cursos de Regência com os Maestros:

  • Dario Sotello (2003)
  • Isaac Karabtchevsky (2003-UFRN e 2007/8-MIMO),
  • Sandoval Moreno (UFPB 2007/8/10),
  • François Carry (Cemo e CPM), Nenéu Liberalquino (CPCMR 2006)
  • Flávio Lima (CPM 2007)

Entre 2002/2009 foi Diretor Presidente do Centro de Educação de Música de Rio Formoso  PE (que fora premiado com o Ponto de Cultura para a Banda Juvenil Santa Cecília);

Na mesma cidade de março de 2007 até dezembro de 2009, fez a implantação do Curso Técnico de Música e foi nomeado Coordenador do Curso de Música do IF  PE – Campus Barreiros;

foto-alepe

Cia de Dança do Centenário – coordenação Newton Caivano

Em 2006 montou e organizou a Cia de Dança do Centenário. Composta por músicos-professores e monitores  do CEMRF (Centro Musical de Rio Formoso), Centro de Criatividade Musical do Recife da Escola Jonas Taurino em Recife. Sua formação era de 22 músicos, 10 bailarinos e o coordenador. No mesmo ano a Cia participou de homenagem as raízes culturais do estado na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Desde 2007 é Conselheiro Titular do Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC) do Recife, também desde o mesmo ano é Membro do Setorial de Música da Fundarpefoi Vice Presidente da Federação das Bandas de Música de Pernambuco, é atualmente membro da Diretoria da Federação das Bandas Filarmônicas do Estado de Pernambuco FEBANDA.

O Frevo É... Paris - 2012

a esquerda Newton e Edson Rodrigues

Participou  de várias reuniões, e grupo de trabalho, sobre a salvaguarda do frevo junto a importantes nomes  como Edson Rodrigues e Carmem Lélis.
Em 05/11/2012 Newton Caivano, e o Maestro Edson Rodrigues, participaram da comissão que , para acompanhou em 
Paris a escolha e titulação do Frevo ao título de Patrimônio Imaterial da Humanidade.

Ainda em 2013 Newton montou o “Grupo o Frevo É…” que participou do FIG (Festival de Inverno de Garanhuns). A concepção foi criar um ambiente de fusão entre vários componentes do sistema frevo (passos, vestimentas, estandartes, flabelos, frevo de rua, canção e frevo de bloco). Como diria o grande Roberto Beijamim: uma mostra da “Folkcomunicação no contexto de massa”.

ARTE PARA CAMISA“Grupo o Frevo É…”4
concepção de show

 FIG (2013)

.

.

.

.

___________________________________________

Certificados e diploma

veja também
Grupo “O Frevo É”
https://catalogobandasdemusicape.wordpress.com/grupo-o-frevo-e/

Anúncios