Subtenente Abdias Oliveira

O texto abaixo foi escrito pelo Sub. Ten. Abdias Oliveira. Tudo teve inicio há várias décadas, porém lá naquele começo tudo que si podia imaginar era onde melhorar aquele presente.
Hoje, depois de tantos anos, os bons frutos são colhidos. Não só por um, mas fundamentalmente por todos que direta ou indiretamente colaboraram na formação dos músicos oriundos da Banda Sinfônica Juvenil Pernambucana, da Escola Cônego Jonas Taurino (Peixinhos, Olinda/PE)

Os Meninos de Recife

Nem tudo é violência. Nossa sociedade precisa saber dessa história para que esta, junto a tantas outras não evidenciadas na mídia, sirvam de exemplo às nossas comunidades carentes, nas quais muitos meninos desviam-se da conduta civilmente correta e enveredam à pratica de pequenos furtos ou até mesmo à utilização de drogas.

O programa “Caso Verdade” foi uma série de televisão transmitida pela Rede Globo de Segunda a Sexta, às 17:30, entre os anos de 1982 e 1986.

Este programa retratava histórias verídicas vivenciadas por brasileiros daquela época: histórias tristes, que mostravam a dura realidade da vida nos vários cantos do Brasil, porém, que evidenciavam a grande força de superação daqueles que, mesmo sem condições, viviam dignamente e se esforçavam para melhorar sua condição financeira e sua posição social.

Um desses episódios, televisionado entre os dias 11 de Abril de 1983 a 15 de Abril do mesmo ano, exibiu “Os Meninos de Recife”, a história de cinco meninos pobres da periferia de Olinda que estudavam na Escola Jonas Taurino, e em vez de roubarem devido à fome, ou praticar qualquer ilícito, se destacaram em uma Banda de Música.

Essas crianças deram seus primeiros passos na música dentro daquele estabelecimento de ensino – aprenderam a teoria e a técnica instrumental – destacando-se dos demais pela grande desenvoltura e habilidades musicais.

Simultaneamente a Banda Sinfônica Juvenil Pernambucana, projeto desenvolvido na Escola Estadual Cônego Jonas Taurino, localizada no bairro de Tamandaré – Olinda, chamou a atenção das autoridades estatais que, quando observaram tamanho destaque e musicalidade, trataram de divulgar a superação de vida e a genialidade com a qual encantava a todos.

Passados 29 anos, um desses meninos voltou àquela Escola. Não sabia ele que, naquela mesma sala onde estudara as primeiras notas musicais, encontraria a banda em funcionamento. Foi uma grata surpresa e uma grande emoção do então subtenente da Aeronáutica e Maestro auxiliar da Banda de Música da Base Aérea do Recife Abdias de Oliveira Silva, que encontrou naquele recanto, forças e vigor para que a pobreza não influenciasse seu futuro brilhante como grande músico e Militar das Forças Armadas.

Dessa forma, o determinismo que hoje ouvimos de que: “Um menino de favela nunca será alguém na vida” é algo absolutamente obsoleto e errôneo, pois um menino simples, de uma comunidade carente, conseguiu sobreviver às dificuldades e se destacar em meio a tantas atrocidades vividas na sociedade.

Abdias Oliveira
junho de 2014

_______________________________________

SO ab 2jpg

Sobre o autor do texto:

Abdias de Oliveira Silva, músico militar da Aeronáutica, saxofonista, maestro e professor de música. Nasceu na cidade do Recife em 1963.

Iniciou na Música aos 08 anos de idade com seu pai, Amaro Terto, músico da Banda Padre Chromácio (em Jaboatão dos Guararapes).

Tocou, sem conhecimento de partituras, os instrumentos: acordeom, órgão elétrico, violão e cavaquinho, além de reger vários corais musicais em igrejas na região metropolitana do Recife.

Sua profissionalização teve iniciou, na Escola Jonas Taurino (Olinda/PE) na Banda Sinfônica Juvenil Pernambucana com os professores:

  • Ademir Araújo,
  • Jose Amaro
  • Severino da Luz
  • Luiz Caetano
  • Geraldo Santos.

Naquele período a Banda, e a Escola, se destacavam pelos bons resultados obtidos. Com essa performance, Abdias e outros meninos da Banda Sinfônica Juvenil Pernambucana, participou de um programa de televisão da rede globo, intitulado os Meninos do Recife (na serie Caso Verdade) entre os dias 11 de abril de 1983 a 15 de abril do mesmo ano.

A ideia de tornar publico desse Caso Verdade foi do jornalista Leonardo Dantas que na época era secretario de cultura da Cidade do Recife.

Por ter se destacado entre os alunos da Banda Sinfônica Juvenil, em 1979 foi estagiar na Banda Municipal do Recife logo se tornando musico profissional e funcionário publico dessa referida banda.

Em 1984 matriculou- se no Conservatório Pernambucano de Música realizando curso de teoria musical, solfejo e percepção musical.

Em 1985 prestou vestibular na UFPE no curso de música, conseguindo assim uma vaga na área de licenciatura em música.

SO AbEm 1986 prestou concurso para sargento musico da Aeronáutica, sendo classificado na Base Aérea de Natal – RN.

Lá, fixou residência, realizou vários cursos de musica entre eles: harmonia tradicional e contra- ponto com o professor Manoel Nascimento, harmonia funcional com o professor Manoca Barreto e o curso de regência com o professor André Muniz.

Passado trinta anos, atualmente é vice regente da Banda da Base Aérea do Recife, e enquanto professor, Abdias Oliveira, quer repassar suas experiências de vida e musical paras os meninos das bandas de musica dos municípios pernambucanos, porque não do nosso Brasil.

Fonte: Ab Oliveira